lavoisier fazendo escola

4 setembro 2007

Nem bem explodiu no Brasil, o Twitter tem o Gozub, seu clone oficial brasileiro.

O Via6, depois do investimento de capital de risco, está cada vez mais parecido com o Facebook – dê uma olhada na comparação das ações tomadas por seus usuários.

facebook
via6.3

O Digg é o mais amado – além do Rec6, feito pela mesma galera responsável pelo Via6, tem também o Linkk e o EuCurti no panteão de adoradores.

Assim como o Technorati tem o BlogBlogs.

Os empreendedores da chamada Web 2.0 repetem os mesmos caminhos dos primeiros desbravadores online no Brasil, que se espelhavam em modelos externos para tentar ganhar mercado.

Depois ainda reclamam do marasmo do VC para internet no Brasil…

A Tratore (que tem artistas altamente recomendáveis pelo Chá Quente, como Cidadão Instigado, Tom Zé, Los Pirata e Hurtmold) baixou os preços das suas músicas até janeiro para 0,30 centavos. Qualé o principal propósito da promoção?
Simplesmente criar hábito entre usuários, fazer com que eles não tenham restrições a comprar disco na internet só por que tá caro. As majors e independentes estão emulando o modelo de venda CD para o mundo digital, e isto é errado. O comportamento de quem baixa música é diferente de quem compra música. Abaixar o preço é permitir a experiência de ouvir várias músicas diferentes. E isto é barato o suficiente pro cara experimentar. Não gostou? Ele não perdeu muito dinheiro de todo jeito.. Discos são comprados na certeza. Eu não compro disco se não sei se gosto ou não.

E quais são as conseqüências esperadas?
Qualquer coisa que aumentar vai ser um aumento indefinido. Não tá vendendo nada, então qualquer aumento é um lucro. É difícil fazer qualquer tipo de previsão de modelo de negócio ou faturamento numa situação desta quando não existe o negócio. Hoje a brincadeira é que o faturamento de música digital, em todas as lojas online do Brasil, é menor que do que reciclar cartucho de impressora (risos). Se queremos que o futuro chegue, alguem tem que trabalhar pra ele.

Qualé o principal problema da música digital hoje no Brasil?

O problema mais sério não é gravadora, mas sim editora, que tem os direitos autorias. Existe um acordo entre elas que o mínimo que uma faixa pode ser vendida é 1,90 real. O próximo contrato pode ser de 2,25 reais, com aumento já programado nos próximos meses. Não sei como fica pro usuário final. Algumas pequenas, como nós, somos editoras e lidamos com composições que não precisam ser editadas, cujo controle dos direitos fica com nós, com editora amiga ou com o artista. Na ponta do lápis, como é uma venda direta com um intermediário (a Megastore, do UOL) não tem transporte e tem imposto de serviço, o resultado é quase igual ao do CD final.

Leia o resto deste post »

Nota rasteira sobre a penetração do XO na dita sociedade civil. Numa simplificação básica, o PledgeBank é um depositário de promessas online – você cria algo que promete fazer e ver quantos partilham seu desejo.

O administrador de redes californiano Mike Liveright prometeu no Pledge Bank comprar um XO por 300 dólares (mais que o dobro dos 140 dólares inicialmente previstos para o notebook educacional) caso mais 99.999 almas caridosas fizessem o mesmo.

Em mais de um ano (a promessa iniciou-se em 06 de novembro de 2005), apenas 3.678 usuários se juntaram á promessa de Liveright, num fracasso retumbante.

O programador, porém, não deve estar desolado pela falta de apoio, já que Negroponte já afirmou que colocará XOs a venda no eBay, ainda sem prazo definido, por 450 dólares. assim como a data, não é claro ainda se a venda de notebooks será limitada.

É inegável, porém, que o início das vendas deverá gerar uma histeria coletiva. A publicação da notícia sobre os 50 primeiros notebooks para testes no Now! motivou uma enxurrada de e-mails de leitores ávidos por informações sobre o XO.

Corringindo: não informações sobre o XO, mas dúvidas sobre onde comprar “esta maravilha da natureza”, segundo descrição de um leitor mais afobado. Foram três os e-mails de professores interessados na ferramenta educacional.

Crianças, vamos com calma.

Chamar o notebook de 100 dólares aos quatro ventos é gerar confusões. Por que, num mercado como o brasileiro, em que o preço impulsiona a maioria das vendas, é questão de tempo até que alguém ache que vai encontrar nas prateleiras versões de 100 dólares como equipamentos da Apple, Dell, HP e Toshiba.

A questão aqui é a educação – nos dois sentidos da palavra.


O vídeo não é novo (foi transmitido pela CBS em janeiro), mas vale cada um dos seus 11 minutos e 41 segundos.

O sempre genial Dave Letterman recebeu em seu Late Show o comentarista da Fox News ultra-direitista (trabalhando ali, seria outra coisa?) Bill O´Reilly.

Num papo extremamente tenso, Dave esculhamba O´Reilly, que já afirmou combater blogueiros com granadas se fosse seu adorado Bush, quanto à comemoração do Natal e à perda de entes queridos em guerras a ponto de fazer detratores do Governo dos EUA delirarem.

O resultado é um espancamento moral contra O´Reilly que termina com Dave, que já esclareceu muito bem sua visão sobre os atentados, afirmando que 60% do seu discurso é merda (tradução livre para “crap).

Em outubro, O´Reilly voltou e o embate entre ambos atinge o ápice no diálogo publicado pela já presente no YouTube CBS.

“O´Reilly – Você quer que os Estados Unidos ganhem no Iraque?

Dave – No começo, achei que era preciso fazer algo. (…) Então uma semana vieraram duas, que viraram meses e uma morte viraram dezenas, que se transformaram em milhares. Então começamos a pensar que pudéssemos estar causando mais problema lá do que todo esforço empregado tenha valido.

O´Reilly – É possível, mas você quer que os EUA ganhem?

Dave – Antes de tudo…

O´Reilly – É uma pergunta simples, só um sim ou não.

Dave – Não é simples pra mim por que eu penso. “

Em 1999, Mark Sandman, o líder e baixista do Morphine, teve um colapso durante um show na Itália e morreu no palco.

Na faixa título do melhor cd da banda, a “Cure for pain” que você ouve aí em cima, Sandman diz que jogará fora suas drogas quando houver uma cura pra dor. Não houve. As drogas o levaram a um ataque cardíaco com 46anos.morphine

Paulistano que tiver sorte pode encontrar a discografia completa do Morphine na sempre necessária Neto Disco por 12 reais cada.

Efeméride

24 agosto 2006

Este blog atingiu a marca de 300 visitas em pouco menos de um mês. É pouco, mas é muito. Meu obrigado a todos que vêm freqüentando o Chá Quente. De verdade.

Quantos meses você dá até que comece a comprar música digital legalmente por serviço brasileiros? Independente da resposta, pensa um pouco mais baixo.

Por mais tentador que seja este cenário paradisíaco do Brasil, que assiste a carnificina da RIAA e da IFPI da sala VIP, uma hora a moleza de baixar música e vídeo sem ônus nenhum vai acabar por aqui.

Dois motivos complementares, mas nada harmoniosos, explicam a possibilidade.

O primeiro é o aquecimento do mercado de música digital no país. Foi só a iMusica e a UOL MegaStore começarem a travar as primeiras batalhas do setor que pistas sobre serviços concorrentes começaram a aparecer.

Vale destacar o pioneirismo do primeiro. O grupo capitaneado pelas sempre ótimas idéias da Ideias.Net vem fazendo o dever de casa direitinho, aumentando o apelo da música digital no país com artistas de enooooorme sucesso (Chico Buarque, alguém?) e inaugurando a primeira loja do tipo para celulares.

O Terra oficializou a sua, meses após executivos da BrTelecom encherem a boca durante o lançamento da nova home do iG para assumirem que o portal teria sua loja online – mesmo que, nos últimos meses, todos engasguem quando falam sobre o assunto.

Mesmo sem anúncio oficial, é improvável que a Globo.com, um portal formatado para conteúdo multimídia e com toda a biblioteca da Som Livre por trás, vá ficar de fora desta – os ótimos resultados da transmissão da Copa podem muito bem animar o portal.

O outro lado não tem nada de animador.

Após a primeira condenação por pirataria de filmes, promovida pela MPA em parceira com a ADEPI, é questão de tempo até que o primeiro “pirata” brasileiro de música seja considerado culpado.

Prisões já rolaram aos montes, como confirma a APEDIF, sem pontuar exatamente quantas.

Mesmo que se percam na burocracia do Estado, é improvável que casos do naipe sejam esquecidos, ainda mais pela provável (atenção, PROVÁVEL) onda de “ataques” planejada por organizações de direitos autorais programas daqui para frente.

Ricardo Cidale, executivo da LabOne, a provável (atenção, PROVÁVEL) responsável pelos streamings e cotas mensais cobradas pelo Terra, é enfático quanto à direção do mercado nacional. “Talento é alimentado por dinheiro. Direito autoral precisa ser pago”. Como, a história é outra.

Vai demorar muito ainda para fechar este BitTorrent?

Hello world!

25 julho 2006

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Mióóóólos

18 outubro 2005

Adoradores de cérebro humano, preparem as malas. Logo no dia do bendito Referendo, realiza-se a Caminhada Anual de Zumbis de 2005, na Necrópole de Toronto! Dementes com roupas rasgadas, feridas enormes no corpo e mancando a perna saem pelas ruas da cidade canadense só pra aterrorizar turistas desavisados.
Daria o hemisfério direito da minha cabeça pra estar lá no próximo domingo.
Tá em dúvida sobre a vestimenta? Aposte em tons rasgados.

Update: Yeah! Fotos da Zombie Walk 2005 em San Francisco.

  • leituras por aí

  • Creative Commons License
    Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
  • Glog








  • o IDG Now! no seu blog

       IDG Now!

    var acc1 = new Spry.Widget.Accordion("Acc1",{ useFixedPanelHeights: false });
  • popularidade

  • Blog Stats

  • RSS Twitter

  • Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.