a lei do Gérson da Web 2.0 brasileira

7 março 2007

As funções de interação propostas por serviços que encapam o movimento de Web 2.0, além de dar voz aos usuários, formula uma nova expressão digital da Lei do Gérson.

Alie conteúdo de grande interesse para um grupo específico a uma comunidade que permite que blogs de pouca projeção ganhem destaque, um sistema de monetização de conteúdo e altas pitadas de cara de pau.

Dê uma navegada pelo Rec6, vencedor da mirrada batalha entre as cópias brasileiras do Digg. Há muitos links da chamada grande imprensa e há também muito conteúdo original produzido pelos próprios usuários em seus próprios blogs.

Mas há um que tenta integrar ambos: conteúdo copiado – com ou sem a referência – de grandes sites para blogs.

Com o Google AdSense e programas de fidelidade do Mercado Livre, por exemplo, o truque funciona como um pedágio em que o leitor para pra ler a notícia e dá tráfego, que pode se transformar em dinheiro, para monetizar o site do indivíduo.

Entre no abandonado EuCurti (e aí, Dante?) e veja o vergonhoso exemplo que o HTMLStaff (não linkado para não ajudar no PageRank) faz – tem alguma graça usar uma rede social assim, cara-pálida?

(Update: o responsável pelo HTMLStaff também está no Rec6)

E aí, devemos nos desesperar por esta espécie de “spam 2.0”? Improvável – a própria comunidade (quando há comunidade ativa; o EuCurti não tem) começa a dar sinais de rechaçar a atitude.

Veja o exemplo de uma mesma notícia do Now! – publicada antes sem a referência, a notícia ganhou razoável audiência até que o link direto foi publicado no serviço.

Agora (meia noite do dia 6 de março), foi a segunda que galgou até a capa do serviço.

Comunidades digitais são feitas por pessoas e vale lembrar que, por mais que algum esperto lembre do Gérson, a sabedoria da multidão ainda é mais importante e impactante.

12 Responses to “a lei do Gérson da Web 2.0 brasileira”

  1. Matt Says:

    Interessante ter usado o termo spam 2.0 hehehe

    Ontem mesmo comentei em algum outro blog sobre o spam que está se formando no rec6, com as notícias duplicadas.

    Estou achando que a maioria que posta no rec6 está atrás de audiência, e não pensa nem um pouco no propósito do rec6.

    Como se não bastassem as notícias duplicadas no rec6, ainda existe a cópia de conteúdo sem referência nenhuma, e isso não se aplica somente no rec6, mas em toda a internet.

    Sobre o spam 2.0 acho que ainda vamos ter muito o que falar.
    []

  2. Ricardo Says:

    Ótimo artigo…
    Realmente o que se vê por aí, algumas vezes, me entristece.
    Mas acho que a Web 2.0 vai amadurecer. Vão resistir os que têm conteúdo verdadeiro, os que têm opinião aproveitável, os que colocam referência e respeitam os outros e não pensam apenas no dinheiro. O dinheiro será uma recompensa para os que forem mais capacitados e trabalharem direito.

  3. Edney Souza Says:

    No Digg blogs assim forma banidos, eu espero ansioso que o Rec6 faça algo similar por aqui.

  4. gfelitti Says:

    Ironicamente, o comentário que o Willian deixou foi deletado por ser um “spam 2.0”.


  5. Ótimo artigo ! Também já havia notado que depois da monetização estamos vivendo o milagre da multiplicação do conteúdo…


  6. Gosto do seu material pois sempre toca em feridas abertas.

    Já tinha notado este comportamento, mas confesso que não tem nada de web 2.0 nisso. A cópia descarada inclui inclusive os translators que pegam material lá de fora, traduzem e não citam a fonte.

    Eu pessoalmente não ganho diheiro com AdSense ou Mercado Libre, mas não acho errado quem ganha desde que não seja enrolando usuários ou com falta de ética.

    Grande abraço

  7. Cab Says:

    Legal, gostei da aula sobre o termo “Lei De Gérson”. Mas vocês perceberam o quão tendencioso é o texto na Wikipédia? =D

    Sobre o assunto, não acho errado uma pessoa promover a notícia de sua própria página (embora eu ache bem errado se não passar apenas de um reblog de outro site), afinal, para ele ser promovido, vai precisar dos votos de seus usuários, ou não?

  8. gfelitti Says:

    Cab, em momento nenhuma a análise critica quem publica conteúdo do próprio site – desde que seja conteúdo original, e não apenas uma cópia para atrair usuários pro AdSense.

    A necessidade de monetarizar blogs, como observa bem o Ricardo Vaz, parece que está sepultando o prazer de blogar que sempre motivou a explosão dos blogs.

    Abraço,

  9. Techbits Says:

    Se vai copiar, faça direito

    Esses dias o Techbits foi “atacado” pela enésima vez por copiadores descarados de conteúdo. Tentei resolver com o blog copiador mas, ao contrário das outra vezes, não consegui. Não há email ou qualquer forma de contato. Tive que apela…

  10. MaRx Says:

    Não vejo mais o Eu Curti e o Ouvi Dizer por causa desse tipo de usuário.


  11. […] No meio da histeria, uma novidade: até o fim da semana, estréia um novo EuCurti, com interface nova (vai lembrar o concorrente direto Rec6) e com sistema de publicação Pligg 9.0, que promete banir os spammers que encarnam o Gérson 2.0. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • leituras por aí

  • Creative Commons License
    Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
  • Glog








  • o IDG Now! no seu blog

       IDG Now!

    var acc1 = new Spry.Widget.Accordion("Acc1",{ useFixedPanelHeights: false });
  • popularidade

  • Blog Stats

  • RSS Twitter

  • %d blogueiros gostam disto: