a dança de cadeiras no mercado musical brasileiro

17 maio 2007

Enquanto o Lobão grava o Acústico MTV que tanto escurraçou (sem opiniões ainda – tem que ouvir antes), o mercado fonográfico brasileiro passa por um momento de dança de cadeiras – nada menos que três das quatro grandes gravadoras têm mudanças no alto escalão.

A principal delas vem da EMI, que trocou de presidente após o escândalo financeiro brasileiro que derrubou as ações mundiais da gravadora em 4% apenas no dia em que foi revelada. O então responsável pela gestão, Marcos Mainard, dá lugar a Marcelo Castelo Branco.

A Warner não fica atrás: o antigo diretor-geral Claudio Condé deu lugar a Sérgio Affonso, que ocupava o mesmo cargo na subsidiária mexicana da gravadora.

Na Universal, a mudança é menor, mas não tanto: Max Pierre ocupa o cargo de novo diretor artístico, profissional responsável por contratar (e demitir artistas) e por conduzir gravação e divulgação de álbuns.

Enquanto isto, o presidente da recém-criada Associação AntiPirataria de Cinema e Música se gaba por ter feita uma batida policial para apreender mídias virgens em 1997.

Pra mim, a dança de cadeiras e a presidência da APCM têm uma ligação uterina.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • leituras por aí

  • Creative Commons License
    Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
  • Glog








  • o IDG Now! no seu blog

       IDG Now!

    var acc1 = new Spry.Widget.Accordion("Acc1",{ useFixedPanelHeights: false });
  • popularidade

  • Blog Stats

  • RSS Twitter

  • %d blogueiros gostam disto: