orkut e brasil: uma origem e quem mata

25 novembro 2007

Durante a matéria sobre o potencial novo papel das redes sociais com a entrada no estilo pé na porta do OpenSocial, a conversa com Luli Radfahrer descambou para a dominação do Orkut entre os brasileiros. Com o fator cascata que os widgets no Orkut devem chegar quando a massa crítica perceber qualé a dos programinhas, houve um consenso sobre o potencial do Orkut afastar qualquer potencial perigos de MySpace e Facebook.

Mas de onde viria uma força suficiente pra desbancar o Orkut? Da TV. Na surdina, a Globo está tentando levar seu apelo para a internet exigindo que interessados em participar do Big Brother Brasil 8 se inscreva no serviço de fotolog 8P, criando um ambiente em que milhares de potenciais “big brothers” interajam entre si numa rede que não o Orkut – por mais que interaja com a rede do Google.

E vai passar? “Teria que construir uma coisa muito maior. Acho que grandes empresas de mídia de massa ainda não entenderam isto direito. Se um grande programa resolve fazer uma rede social e ganhar sua musculatura, ele pode roubar usuários do Orkut”.

Luli é direto (e este blog assina embaixo): enquanto nenhum canal de TV conseguir fazer uma ação decente, que use redes sociais atreladas à grande mídia, o Orkut vai remar sozinho no mercado social.

A experiência acumulada pelos brasileiros pelo envolvimento com o Orkut é mais que motivo para que o Google leve alguns power users para Índia e China pra tentar replicar o modelo da rede em países pobres com crescente acesso em banda larga – vale lembrar que, além do Brasil, o Orkut faz sucesso só na Índia e no Paraguai.

“Só que parece que nem pessoal do Google sabe o que deu certo”. Luli tem mezzo-razão. Em entrevista com Nélson Mattos, o VP de engenharia do Google na Europa, o diretor de comunicação do buscador no Brasil Félix Ximenes – que já tinha explicado a confusão dos probloggers para este Chá – arriscou um palpite sobre a popularidade.

A razão primordial? Engenheiros. Quando o Orkut começou a fazer sucesso entre eles, ilhas de acesso do Google começaram a se destacar no mapa mundial de acesso. A primeira cidade brasileira foi Porto Alegre o que levou outras cidades, como São Paulo e Rio, a arregimentar mais usuários, numa espécie de disputa.

Evidentemente, a razão total não contempla só uma corrida pelo ouro entre engenheiros. Mais que encontrar razões, porém, o Google deve estar preocupado em levar o OpenSocial pra mesma massa que abraçou o Orkut e hoje o usa como uma Maizena ou uma Gillette da vida – com ou sem um canal de TV pra atrapalhar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • leituras por aí

  • Creative Commons License
    Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
  • Glog








  • o IDG Now! no seu blog

       IDG Now!

    var acc1 = new Spry.Widget.Accordion("Acc1",{ useFixedPanelHeights: false });
  • popularidade

  • Blog Stats

  • RSS Twitter

  • %d blogueiros gostam disto: